sábado, 24 de julho de 2010

Como se preparar para o vestibular

Já estamos quase em agosto, e o vestibular das universidades federais não está longe. Faltam menos de seis meses...

Este ano eu vou prestar vestibular para uma universidade federal, mais especificamente para o curso de Ciências da Computação, que é o meu sonho. Mas acontece que eu estou um tanto em desvantagem com relação a grande parte dos vestibulandos da universidade federal. O motivo é que eu venho da rede pública de ensino.

Por eu ter estudado durante mais de 10 anos em escolas públicas, eu não tive toda a base sólida de educação necessária para fazer um vestibular no nível da universidade federal. Mas é claro que isso também depende de mim, afinal de contas não é só porque eu estudei a vida toda em escola pública que eu sou um asno. Diferentemente de muitos egressos de escola pública, eu tenho acesso à informação, sendo que nem todos têm. Além disso, eu sou interessado em aprender, e sou muito determinado, sendo que nem todos são assim. Eu estou em desvantagem, sim, mas acontece que o fato de eu estar em desvantagem não me impede de estudar muito e aprender em 6 meses tudo o que os professores na escola pública não foram capazes me ensinar em 11 anos. Eu escrevi tudo isso pois você aí que está na mesma situação deveria tomar isso como exemplo. Se você recebeu uma educação "mais ou menos", da mesma forma como eu, não deixe isso limitar a sua vida, pois se você tiver interesse e determinação, você vai entrar na universidade federal em pé de igualdade com qualquer outra pessoa. É o que eu estou fazendo. Estudando muito, para adquirir todo o conhecimento que ainda me falta, e para obter a confiança da qual eu preciso para encarar as provas em dezembro desse ano.

Dito isso, quero agora dar umas dicas, mostrar o que eu estou fazendo pra me preparar para o vestibular. Isso pode talvez ajudá-lo, caso você esteja também se preparando. Então, vamos lá:


Dicas para o Vestibular


Em primeiro lugar, não perca seu tempo procurando no Google "o que estudar para o vestibular" ou "o que cai no vestibular", porque você pode (e vai) se dar mal. Confesso que eu mesmo costumava fazer isso há alguns meses atrás, mas descobri algo que me fez repensar. Eu fiz o download de diversas provas do vestibular de várias universidades federais, aplicadas em anos anteriores, e as analisei de cabo à rabo. Percebe-se claramente que alguns tópicos costumam aparecer mais do que outros. Algumas matérias sempre caem no vestibular independente da universidade ou do ano, outras matérias caem bastante, e outras quase não aparecem. De acordo com a minha análise, eu chegei a uma conclusão que você confere na listagem abaixo, contendo as matérias e os tópicos que aparecem com maior freqüência nos vestibulares em geral. Mas antes disso, aqui vai uma observação muito importante:


Não leve esta listagem tão à serio, ela é apenas uma referência! Lembre-se que no vestibular cai de tudo um pouco, então estude toda a matéria!

Aviso dado, vamos à listagem.


Matemática

O que sempre aparece (é clássico):

Problemas de Lógica
Trigonometria
Geometria Plana, Espacial e Analítica
Progressão Aritmética e Geométrica (PA e PG)
Análise Combinatória
Porcentagem
Proporcionalidade
Funções e Gráficos

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Equações de 1° e 2° grau
Probabilidade e Estatística
Sistemas lineares
Matrizes e Determinantes
Logaritmos
Polinômios
Equações Algébricas

O que aparece pouco (mas pode aparecer):

Números complexos
Juro Simples e Composto
Teoria dos Conjuntos


Biologia

O que sempre aparece (é clássico):

Citologia em geral (célula animal e vegetal)
Mitose-Meiose
Classificação dos Seres: Reino, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero
Grupos Sangüíneos: Grupo ABO e Fator Rh
Vírus e Bactérias
Vermes e Verminoses
Infecções: AIDS, SARS, etc.
DNA, RNA e Cromossomos
Célula Vegetal: Fotossíntese, Absorção de Água, Transporte e Transpiração
Ciclos reprodutores de plantas

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Circulação sangüínea e respiração
Sistema Nervoso
Outros Sistemas: Digestivo, Endócrino, Excretor, etc.
Protozoários
Causas e prevenção de diversas doenças como Raiva, Doença de Chagas, Febre Amarela, Esquitossomose, Giardíase, Dengue, Toxoplasmose, etc.
Síndromes: Síndrome de Down, etc.
Regulação Hormonal
Hormônios Vegetais


Geografia

O que sempre aparece (é clássico):

População Brasileira
Indicadores Sociais
Interpretação de Mapas e Gráficos
Diversos termos geográficos como "setentrional", "meridional", etc.
Aspectos Econômicos
Coordenadas Geográficas
Pontos Cardeais: Norte, Sul, Leste, Oeste, etc.
Latitude e Longitude
Linhas Imaginárias: Trópico de Câncer, Trópico de Capricórnio, Equador, Círculos Polares, etc.
Continentes, Mares e Zonas Térmicas
Localização de países e fronteiras

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Escala Cartográfica
Blocos Econômicos
União Européia, Mercosul, ALCA, etc.
Regiões de conflito no mundo

O que aparece pouco (mas pode aparecer):

Geologia: tipos de rochas, tipos de solo, etc.
Relevo: montanhas, planícies, planaltos, rios, tipos de vegetação, etc.


História

O que sempre aparece (é clássico):

Neocolonialismo e 1ª guerra mundial
Crise de 1929 e Revolução Russa
Guerra Fria e 2ª guerra mundial
História do Brasil: Era Vargas, República Velha, Ditadura Militar e governos atuais

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Revolução Industrial
Revolução Francesa
Revoluções na América Contemporânea: Mexicana e Cubana
Outras guerras e conflitos ao redor do mundo


Física

O que sempre aparece (é clássico):

Grandezas Físicas: Distância, Velocidade, Aceleração, Energia, Força, Temperatura, Resistência Elétrica, etc.
Movimento Retilíneo Uniforme
Movimento Retilíneo Uniformemente Variado
Movimento Circular Uniforme
Gravitação
Leis de Newton: plano inclinado e atrito
Força Centrífuga (ou Centrípeta)
Energia Mecânica, Trabalho e Potência
Quantidade de Movimento e suas propriedades
Termometria e calorimetria
Circuitos elétricos
Potência e Energia Elétrica
Custo da Energia Elétrica
Eletrização: Lei de Coulomb, força magnética e indução magnética
Campo Elétrico e Potencial Elétrico

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Empuxo
Princípio de Arquimedes
Equação Fundamental da Ondulatória

O que aparece pouco (mas pode aparecer):

Reflexão: Espelhos Esféricos, Côncavos e Convexos
Refração: Lentes Delgadas
Magnetismo


Química

O que sempre aparece (é clássico):

Conceito de Mol
Massa Molar
Cálculo Estequiométrico
Reações inorgânicas: reações de oxirredução
Ligações químicas: Forças intermoleculares e sua influência no ponto de ebulição e solubilidade
Principais funções orgânicas e isomeria
Reações orgânicas mais importantes: adição, substituição, desidratação de álcoois, esterificação, oxidação de álcoois, polimerização
Cinética Química
Equilíbrio
Eletroquímica
Soluções e Termoquímica


Português

O que sempre aparece (é clássico):

Redação
Questões envolvendo as obras literárias sugeridas pela universidade
Figuras de Linguagem
Pronomes Relativos, Reflexivos, Oblíquos,
Verbo: Tempos e Modos Verbais
Concordância Verbal
Voz Ativa e Passiva
Tipos de Conjunção: Coordenativa, Adversativa, Aditiva, etc.
Frase, Oração e Período

O que aparece bastante (mas nem sempre):

Identificação de Classes Gramaticais: Substantivo, Adjetivo, Advérbio, etc.
Sujeito Determinado e Indeterminado
Objeto Direto e Indireto

O que aparece pouco (mas pode aparecer):

Ortografia
Acentuação Gráfica: Acento Grave, Acento Agudo, Acento Circunflexo, Crase, etc.
Pontuação: Vírgula, Ponto, Ponto-e-vírgula, Reticências, etc.


Inglês

O que sempre aparece (é clássico):

Interpretação de Texto
Testes de Vocabulário




Enfim, estas foram as matérias e assuntos que eu percebi que é necessário ter algum entendimento para se ter alguma chance de entrar numa universidade federal. Eu particularmente estou estudando sozinho através de livros didáticos e da Internet. Existem inúmeros sites na rede onde você pode estudar sobre os mais diversos assuntos, seja em Matemática, Biologia, Física, ou qualquer outra matéria. Quem procura, acha.

De todas as matérias, as que eu acho mais complicadas são as exatas, especialmente Matemática, Física e Química. As que eu tenho a maior facilidade e nem estou esquentando muito a cabeça são Português e Inglês. Quando em Matemática eu vejo aquele monte de cálculos misturando raizes quadradas, potências, frações, logarítmos e incógnitas, eu enlouqueço. Mas no fim eu acabo me acalmando pois sei que basta um pouco de raciocínio. Se você pegar um cálculo enorme para resolver, não se desespere, pois os grandes cálculos se resolvem parte por parte, pedaço por pedaço, isto é, usando as operações elementares de multiplicação, divisão, adição e subtração, você vai resolvendo os maiores e mais obscuros cálculos matemáticos.

O problema principal do vestibular, pelo menos ao meu ver, é a interpretação do enunciado. Por exemplo, muitas vezes eu olho pra um problema matemático e não faço a mínima idéia de como resolver, não sei nem por onde começar. Mas analisando bem, e decompondo o "problemão" em partes menores, você resolve facilmente. Outra coisa, muitas questões-problema do vestibular precisam de múltiplos cálculos para serem resolvidas, às vezes você vai precisar utilizar cálculos que à princípio não têm nada a ver um com o outro, mas que juntos podem resolver o problema facilmente. Percebe-se que a intenção e o foco dos vestibulares hoje em dia é justamente em valorizar o raciocínio lógico dos candidatos, ao invés de exigir a "decoreba", ou seja, não adianta nada você decorar, por exemplo, como se resolve um sistema de equações lineares. Você tem que saber como usar um sistema de equações para resolver os problemas mais obscuros que saem da mente dos que elaboram as provas dos vestibulares :P

Você deve aprender, e não decorar. Não passe seis meses diante dos livros tentando decorar fórmulas, datas, e o escambal. Passe seis meses se dedicando ao estudo das matérias e querendo realmente aprender. Se você apenas decorar fórmulas e conceitos, de nada vai adiantar, uma vez que, como já citei antes, os vestibulares hoje em dia exigem que você saiba usar todo o conhecimento adquirido em mais de 10 anos dentro da escola, e não que você chegue aplicando a fórmula tal e resolvendo a equação tal. Eles querem te fazer pensar. Se você souber a matéria toda, você vai analisar a questão e já vai saber o que fazer para resolvê-la. Não vá fazer o vestibular com aquele pensamento de "Ah, se na hora eu não souber, eu chuto", ou "Ah, na hora eu resolvo", porque você não vai acertar nada na base do "chute", nem vai adivinhar as respostas corretas.

Isso vale não só para a Matemática, mas pra todas as matérias. Hoje em dia todo mundo sabe que não adianta querer decorar datas para fazer prova de História, nem decorar nomes de rios ou de montanhas para fazer prova de Geografia, muito menos decorar a tabela periódica dos elementos para fazer prova de Química (ainda mais porque a tabela periódica geralmente é incluída em provas de Química). Você já tem que saber como aplicar estes conhecimentos nas mais variadas circunstâncias.

Na minha opinião, as matérias mais básicas de todo o vestibular, independente da universidade ou curso escolhido, são Matemática e Língua Portuguesa. A redação, por exemplo, costuma valer vários pontos, isto é, redigir uma ótima redação vale o mesmo que acertar umas 10 questões. Sem falar que o Português é o nosso idioma nativo, é a língua na qual nos comunicamos e não é só nas provas do vestibular, mas o Brasil inteiro é o país que mais fala e escreve nesta língua (sem falar nos diversos outros países onde se fala português). Como é possível que um brasileiro não saiba se expressar no seu próprio idioma? Bem, muitos brasileiros não sabem, e isso é fato inegável. Saber ler, escrever e falar português perfeitamente (ou pelo menos quase perfeitamente) é essencial para passar no vestibular. Já a Matemática é básica no vestibular também uma vez que os conceitos Matemáticos se aplicam também a praticamente todas as outras matérias e campos de estudo, principalmente na Física, com suas inúmeras fórmulas e cálculos. Química também faz uso de muita Matemática. Geografia faz bastante uso de diversos gráficos e tabelas de dados, que requerem um conhecimento básico de Matemática para que sejam corretamente interpretados. Portanto, se você tem dificuldade com Matemática e Português, trate já de sanar estas dificuldades, ou infelizmente você não vai muito longe.

Mais uma dica sobre Matemática: dê uma analisada nas provas de Matemática dos vestibulares de anos anteriores. Analise as diversas questões e tente resolvê-las, ou pelo menos veja se você consegue entender o enunciado, e se entender, veja se consegue identificar uma forma rápida de resolver a questão. Se acontecer de você não entender o enunciado, isto é, se você não consegue entender nem o que a questão está pedindo, isso é um sinal de que o seu problema é de interpretação ou de lógica, e não de Matemática. Nesse caso, você deve ler e reler o enunciado prestando muita atenção, até entender o que a questão pede. Se você consegue entender o que a questão está pedindo, mas não sabe por onde começar ou não sabe o que fazer para resolvê-la, o seu problema é pensar em algum(ns) conceito(s) matemático(s), algum(ns) tipo(s) de cálculo que você possa usar para resolver a questão. Em geral, se você entende bastante sobre Matemática, ao ler um enunciado você já identifica que conceito deve ser aplicado para a resolução. Por exemplo, quando uma questão diz o seguinte: "Se um cofre possui senha de 5 dígitos, onde cada dígito pode ter um valor entre 0 e 9, inclusive, quantas tentativas são necessárias para conseguir abrí-lo?" ou "Quantos anagramas da palavra OTORRINOLARINGOLOGISTA podem ser formados?", você já precisa saber "de cara" que esse tipo de problema envolve cálculos de Análise Combinatória, ou vai passar 5 horas multiplicando e dividindo sem chegar a lugar algum. Lembre-se sempre de que todo conceito matemático tem uma aplicação prática.

Quero dar também uma dica sobre as obras exigidas para o vestibular. Caso você não tenha condições de adquirir os diversos livros indicados ou simplesmente não tem tempo de ler tantas obras em tão pouco tempo, há uma alternativa: leia os resumos ou resenhas das obras. Uma busca na Internet por resumos de clássicos da literatura brasileira, como "Dom Casmurro" de Machado de Assis, por exemplo, vai revelar inúmeras fontes. Leia os resumos com atenção. Mas não fique surpreso se cair alguma questão sobre a obra que você não saiba responder. Afinal de contas a idéia é de que você de fato leia as obras na íntegra. Uma vez que o número de leitores no Brasil é ínfimo se comparado com outros países como Estados Unidos ou França, as universidades fazem bem em exigir a leitura de diversos livros. Muitos estudantes lêem o seu primeiro (e talvez, único) livro poucos meses ou dias antes do vestibular. O que é uma vergonha, porque devemos cultivar o hábito da leitura. Então leia resumos das obras somente se realmente não tiver tempo. Caso não tenha condição de adquirir os livros, você pode encontrá-los na íntegra também pela Internet, para baixar gratuitamente no computador, geralmente em formato PDF ou DOC. Para achar, basta pesquisar.

Só me resta agora, para terminar este artigo, lhe desejar bons estudos. E você deve sempre lembrar da seguinte frase:


A diferença entre o vencedor e o perdedor é a determinação.


Se você quer, nada nem ninguém vai te impedir. Não esqueçam que eu também estou no mesmo barco que vocês. Com dedicação e determinação podemos chegar a qualquer lugar.

Ah, e se você tem alguma dica para o vestibular e quer compartilhá-la conosco, pode deixar um comentário por aqui. Certamente será muito útil.


Faltam só 5 meses... Boa sorte para nós!!!