quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Que linguagens de programação estudar?

Olá estudantes de programação! Hoje vou dar umas dicas sobre quais linguagens de programação é importante estudar. Já quero começar este artigo deixando algo bem claro, para que você se lembre sempre:


Linguagem de programação NÃO É igual time de futebol nem igual religião!!!



As linguagens de programação são apenas instrumentos de trabalho do programador profissional sério.


Assim como um marceneiro aprende a usar o martelo e o serrote para desenvolver seu trabalho, um programador aprende a usar as diversas linguagens de programação, sempre escolhendo aquela que melhor ajuda a resolver o problema.

Agora que você já sabe que o bom programador deve usar as linguagens como meras ferramentas, qual linguagem é melhor aprender primeiro?

Bom, atualmente é quase unânime a opinião dos programadores. Fato absoluto: Java e C++ são as linguagens mais usadas hoje em dia. Como todos sabem, C e C++ são um padrão na indústria. O mundo da programação gira em torno de C e C++, uma vez que estas são as linguagens mais poderosas que existem. Você desenvolve toda e qualquer espécie imaginável de aplicação, jogos, utilitários, sistemas operacionais, vírus, trojans, com C e C++ você faz praticamente TUDO, com C e C++ você domina a máquina e ela faz aquilo que você mandar.

Uma vez que C e C++ são as linguagens mais poderosas, são um tanto difíceis de aprender como primeira linguagem. Java é bem mais fácil de aprender primeiro. Para aprender Java, você não precisa ter nenhuma experiência anterior com programação. Basta ter vontade e dedicação.

Java é atualmente ensinada em muitos cursos pelo mundo, seja em cursos superiores, técnicos ou profissionalizantes. Todo mundo gosta de aprender Java porque Java é fácil!

Agora, tem um detalhe. Java é não só uma linguagem de programação. Java é o nome que se deu a toda uma tecnologia. Hoje quase todo telefone celular possui uma JVM adaptada, permitindo que o aparelho rode jogos e aplicativos em Java. Se pode desenvolver um aplicativo em Java no Windows e rodá-lo num Linux ou em qualquer outro sistema operacional que tenha uma JVM. Java é relativamente fácil, flexível e portável.

Já C e C++ não são linguagens tão simples, flexíveis ou portáveis. Um programa em C++ escrito para Windows nem sempre roda num Linux sem modificações. E programar em C++ para telefones celulares pode se tornar um pesadelo.

Enfim, são as vantagens e desvantagens que definem quando e onde usar uma ou outra linguagem. Eu creio que ninguém em sã consciência, JAMAIS cogitaria usar Java para desenvolver um driver de dispositivo, por exemplo. Até porque isso é impossível. Java não foi feito pra isso. Pra isso existe C e Assembly.

O que você precisa ter em mente sempre, é que cada linguagem, cada ferramenta, tem o seu lugar. Cada projeto de software requer uma ou mais de uma dentre as muitas linguagens de programação disponíveis.

Apesar dos pesares, você pode escolher tornar-se um especialista em apenas uma ou duas linguagens. Isso é bom. Mas lembre-se de que naqueles projetos onde se exige uma outra linguagem, você não vai se encaixar, ou terá que aprender tudo "na marra".

Você tem dois caminhos a seguir. A escolha é sua. Você pode escolher ser o famoso "pau pra toda obra", aprendendo uma meia dúzia de linguagens, diversas APIs e frameworks, e se encaixar em qualquer projeto; ou então você pode escolher ser o especialista, que se empenha em aprender o máximo de uma ou duas linguagens, e programar apenas usando aquela(s) que aprendeu, para tornar-se a cada dia mais experiente.

Eu particularmente estou trilhando o caminho do especialista. Peguei as duas linguagens mais usadas na indústria, que são Java e C++, e de fato "meti a cara". Comecei com Java e depois passei para C++. Hoje eu pratico e desenvolvo bastante coisa em ambas as linguagens, e tenho me dado muito bem.

Mas isso é uma escolha pessoal.


Bom, neste momento eu estou com MUITA pressa, então vou parar o artigo por aqui, mas assim que eu tiver mais tempo eu retomo este artigo de onde parei. Prometo!


Abraços, até mais.