quarta-feira, 12 de março de 2014

Por que eu sou um Mosaico Cultural?

Essa é uma pergunta que eu venho me fazendo ultimamente.

Primeiro, o que seria um "mosaico cultural"? É como eu chamo a mistura de várias culturas diferentes. Eu me considero um mosaico cultural pelo fato de que com o passar desses 25 anos eu incorporei na minha vida culturas de alguns países, totalmente diferentes do Brasil, que é o meu país natal. O que eu não entendo é o motivo disso. Nunca entendi de onde veio esse meu interesse por culturas estrangeiras. Esta postagem é a minha tentativa de entender e explicar essa característica da minha personalidade.



Representação gráfica do meu mosaico cultural atualmente. Da esquerda para direita, de cima para baixo: Rio Grande do Sul, Estados Unidos, Romênia, Grécia, Albânia e Geórgia


Remontando aos velhos (melhores) tempos, bem no início dos anos 90, lembro vagamente que com uns 4 anos de idade eu já sabia ler e escrever em português, e já estudava inglês. Esse foi provavelmente o meu primeiro contato com uma cultura estrangeira, a cultura americana. Hoje eu falo inglês quase fluentemente graças a esse início precoce.

Acontece que passado vários anos, não lembro exatamente com que idade, eu comecei a me interessar por idiomas em geral, achava interessante ouvir outras pessoas falando em línguas diferentes, ver textos escritos em outras línguas, mesmo que eu não entendesse nada. Daí surgiu o meu interesse pela Linguística Geral, que é uma ciência que estuda a linguagem humana em geral, e em especial os idiomas. Inclusive houve uma época que consegui um livro e uns materiais na internet sobre esta área e estudei muito, daí vem o conhecimento que tenho hoje sobre Linguística Geral.

Como o estudo de um idioma é praticamente impossível sem ter qualquer contato, mesmo que mínimo, com a cultura dos povos que a falam, eu acabei lendo sobre vários idiomas e ao mesmo tempo aprendendo um pouco sobre as culturas dos vários povos que falavam os idiomas que eu estudava.

Depois do inglês e da cultura americana, e durante meus estudos sobre Linguística Geral, é que o "mosaico" realmente começou a se formar. Li num livro sobre o idioma romeno, a língua falada pelos romenos, um povo latino que vive no Leste Europeu, num país não muito conhecido no ocidente, chamado Romênia (inclusive tenho um blog desde 2009 sobre a cultura romena). Comecei então a estudar o idioma, por simples curiosidade. Com o tempo acabei aprendendo sobre a cultura romena, comecei a escutar música romena diariamente, assistir filmes romenos... chegou num ponto em que eu ouvia só música romena durante muito tempo. Essa foi a segunda cultura que se "embrenhou" na minha vida assim sem mais nem menos. A partir dessa época passei a me considerar romeno de alma, minha segunda nacionalidade, mesmo que não-oficial.

Até aí tudo bem, nada de muito extraordinário você se interessar pela cultura de outros países. Mas em geral isso não se estende demais, as pessoas costumam se interessar pela cultura americana porque é extremamente difundida no mundo inteiro, os americanos são muito influentes mesmo. Daí vem o interesse por uma segunda cultura estrangeira, que também é comum, por exemplo, conheço várias pessoas que se interessam pela cultura japonesa, que adoram animes, aquelas animações típicas dos japoneses, e por aí vai. O estranho é quando a pessoa resolve agregar uma terceira cultura, e depois uma quarta, e depois uma quinta, como aconteceu comigo. E ainda por cima culturas de países pouco conhecidos.

Eis que aproximadamente em meados de 2012 eu comecei a subitamente me interessar pela cultura grega (da Grécia Moderna). No início eu não ligava muito, era só algumas músicas que escutava. Ainda em 2012 ou já em 2013 eu comecei a descobrir outros artistas gregos célebres, e comecei a ouvir diariamente música grega. Chegou num ponto em que (como aconteceu na época de pico do meu interesse pela cultura romena) que eu só ouvia música grega. Daí em meados de 2013 mesmo comecei a estudar grego, comecei a conhecer melhor o povo e o país, e no final do ano comprei passagens aéreas para viajar à Grécia. Sim, todo esse interesse me levou a querer conhecer o país pessoalmente, e em junho de 2014 (daqui a menos de 3 meses) estarei por lá, e aproveitarei para dar um pulinho na Romênia e em outros países cujas culturas fazem parte do meu "mosaico cultural".

A Grécia foi o terceiro país a me agregar uma cultura estrangeira, riquíssima por sinal, como todos sabem. Só que não parou por aí. O meu mosaico tem aumentado cada vez mais rápido. Ainda em 2013, a Albânia que é um país vizinho à Grécia, começou a invadir o meu dia-a-dia. Comecei a escutar música albanesa. É sempre assim, começa com a música, depois a língua, e depois a cultura geral do povo e a vontade de conhecer pessoalmente. Com a Albânia não foi diferente. Apesar que (ainda) não me aprofundei no idioma albanês, mas já incluí a Albânia no meu roteiro de viagem.

Pensa que terminou? Pois não. Muito recentemente, a Geórgia tem sido mais uma adição ao meu mosaico. A Geórgia é um país que não se decide se faz parte do Leste Europeu ou da Ásia Ocidental. Alguns dizem que ele faz parte da "Eurásia" (mistura de Europa com Ásia). Fica na margem leste do Mar Negro, do lado oposto da Romênia, faz fronteira com a Turquia, com a Rússia e outros países menores. É um país bem pequeno, na região do Cáucaso, considerada a origem da etnia caucasiana (pessoas brancas que nem papel). Eles estão numa briga constante com a Rússia, porque os russos safados resolveram se meter num conflito entre o governo central da Geórgia e duas regiões do território georgiano que se autodeclararam independentes (Abkázia e Ossétia do Sul). Então os russos resolveram ocupar essas regiões e pra todos os efeitos, a Geórgia não manda em nada por lá, são dois territórios que os russos "roubaram" deles, sem a mínima vergonha. Mas enfim...

Nem sei de onde surgiu o interesse pela Geórgia. Apenas vi umas fotos de umas cidades muito bonitas, e resolvi colocar no meu roteiro de viagem. Comecei a escutar música georgiana e a ler sobre o idioma georgiano, que eu acho incompreensível e muito mais difícil do que o grego, então não me aprofundei (ainda).

Resumindo, Estados Unidos, Romênia, Grécia, Albânia e Geórgia são países muito longínquos mas que são hoje parte integrante do meu mundo e da minha cultura. Engraçado notar, é que tirando os Estados Unidos (que basicamente faz parte da cultura de muita gente no mundo todo), os países que me interessam são todos de uma mesma região geográfica (ou quase). A Grécia e a Albânia ficam um do lado do outro, a Romênia fica logo ao norte da Grécia atravessando a Bulgária, e a Geórgia fica do outro lado do Mar Negro, oposto à Romênia. Em geral o que tem ao leste do Leste Europeu é o que tende a me chamar mais atenção. Agora, não me pergunte o motivo disso, porque nem eu sei.

A conclusão à qual eu cheguei depois de escrever essa postagem é que, provavelmente esse mosaico cultural que eu montei na minha vida parte geralmente de um interesse linguístico por países pouco conhecidos no ocidente. Não tenho outra explicação racional. Se eu fosse supersticioso ou acreditasse em "vidas passadas", eu poderia dizer que talvez na minha vida passada eu tenha sido uma pessoa que viveu na região do Leste Europeu e era extremamente ligado à sua terra.

Provavelmente eu nunca vou ter uma explicação pra essa pergunta "por que eu sou um mosaico cultural". Mas pelo menos eu tenho as minhas hipóteses. Será que mais alguém compartilha dessa história?

Deixe seus pensamentos!